As comédias românticas e seus ensinamentos

Eu hoje nos meus vinte aninhos presenciei o boom dos anos 00/10 e os milhões de filmes sobre romance. Aliás, essa temática sempre existiu porém só lá pro meus doze anos comecei a tomar tino sobre os filmes que assistia. Até o momento meu universo girava em torno dos filmes da Disney, animações e os que minha mãe assistia. E é exatamente aí que entra as comédias românticas, mamãe sempre foi amante desse estilo. Aqueles filmes água com açúcar, onde temos a protagonista que tem o coração partido e depois ele é costurado pelo mocinho dos olhos azuis.

13 goin on 30

Cresci no meio desses filmes, e sem esquecer de dizer que os filmes da Disney tinham exatamente a mesma temática, fui me tornando cada vez mais sonhadora. Talvez até um pouco iludida. Porém depois que algo faz parte da sua rotina e você se apaixona por ela, fica meio impossível de desapegar. Eu tenho minhas críticas em relações à esses filmes, por exemplo, uma certa imposição de que precisamos de uma relação amorosa com um certo alguém que até um certo momento te importunava, para sermos felizes e como isso só reforça a ideia de que mulheres que não se casam serão infelizes. Ou como a mulher é esteriotipada, muitas vezes exibida como uma louca neurótica porque chegou na casa dos 30 e não casou ainda, mas isso é assunto pra outro post. Porém com o mesmo entusiasmo das críticas, tenho meus elogios à esses filmes. E principalmente em relação ao amor, porque por mais bizarro que pareça dá pra aprender bastante com esses filmes viu?!

1. O coração regenera sim, fique tranquilo

Depois de passar dias e horas vendo filmes, uma coisa que aprendi com as comédias românticas é que seu coração pode ter sido partido, porém você é capaz de amar novamente. Pode ser com esforço próprio, ajuda de amigos ou do príncipe no cavalo branco, ele vai voltar a bater. Acredite!

2. Todo mundo tem defeitos, inclusive você

Na maior parte das histórias, a mocinha parece perfeita à nossos olhos, porém, geralmente o ser humano por quem ela se apaixona tem milhões de diferenças dela. Ela aponta os defeitos dele, fala mal, reclama e briga e chora. Só que, ele também aponta os defeitos dela, aqueles que ela esconde tão bem e faz questão de ignorar. E no fim para o bom convívio, eles precisam aprender a lidar com esses defeitos e respeitar o parceiro é o essencial. Aceitar nossos defeitos é a chave pra aceitar ao outro da maneira que ele é.

Shallow Hal

3. Príncipes encantados existem, porém são humanos

Sabe às vezes a gente imagina alguém na nossa cabecinha, sonhamos com ela, visualizamos todas as características dela, físicas ou não, e sonhamos que aquele alguém será o grande amor de nossas vidas. Será o nosso príncipe encantado. Mas aí você se apaixona por alguém e percebe que essa pessoa é seu príncipe, entretanto não tem nada a ver com aquele ser imaginário. Pois é! Esses seres encantados existem, basta a gente parar de imaginar ele como um produto. Eles são seres humanos e infelizmente (ou felizmente) não temos como planejar tal coisa, apenas abrir a cabeça e deixar o coração fazer o trabalho dele.

4. Se você se ama, os outros também amarão

Tá aqui uma dica valiosa (inclusive já fiz um post sobre isso aqui no blog), quando você se ama por inteiro, as pessoas ao seu redor percebem essa energia boa que flui de você. E essa energia contagia de uma maneira sem igual, parece que é envolvente. Chame de amor ou chame de felicidade, isso contagia os seres humanos.

5. Tudo poderia ser evitado se fôssemos mais pacientes, a conversa resolve muita coisa

Todo filme tem seu ápice e seu declínio, e nessa parte geralmente é quando o casal principal briga por algum detalhe bobo (na maioria dos casos). Se eles sentassem e conversassem todo o drama e o chorôrô poderia ser evitado, e afinal não é assim que relações duram? Com paciência?! Conversas podem nos levar longe, resolver nosso problemas à base de tapas e choro não funciona sempre.

E aí gostaram? Deixe seu comentário.
Beijos açucarados 🙂

Today in my twenties I’ve witnessed the boom of the 00/10’s and the million of movies about romance. By th way, this theme always existed but just when I was in my twelve years old I started notice the movies I watched. Till that moment my universe spun around of the Disney, animations and the movies tha my mom watch. And is exectly here where the romantic comedy gets in, mommy is a huge lover of this style. That movies chick flicks, where we have the protagonist that have a broken heart and later is swen by the good guy with blue eyes.
I grew up in the middle of that movies, and without forget to say that Disney films have the exactly same theme, I was becoming increasingly dreamy. Maybe even a little deluded. However after something starts be part of you rotine and you fall in love for it, it is kind of impossible to detach. I’ve my critics about this kind of movies, for example, a certain imposition that we need a romantic relationship with someone that until one point bothered you, to be happy and how that reinforces the idea that women who doesn’t get maried will be unhappy. Or like the women is stereotyped, many times showed like a neurotic lunatic becase she have 30s and do’nt marrried yet, but this topic for an another post. However with the same enthusiasm of the critics, I’ve my compliments to these movies. Mainly about the relation with love, because for more bizarre it sounds we can learn a lot with that movies ok?!
1. Yep, the heart regenerates, don’t worry
After spend hours and days watching movies, one thing I’ve learned with the romantic comedies is that your heart might have been broken, but you able to love again. Could be with own effort, help of friends or the prince on the white horse, it will come back to beat. Believe it!
2. Everyone have flaws, including you
In most of the stories, the lady look perfect to our eyes, but, usually the human beig for who she falls in love have million of differences from her. She apoints his defects, speaks ill, complains and fight and cry. However, he also apoints her flaws, that one that her hides so well and insists in ignore. And in the end to the good living, they need learn to deal with these defects and respect the partner is essencial. Accept our flaws is the key to accept the other the way he is.
3. Princes charming exists, but they’re human
You know sometimes when we imagine someone in our heads, dream with her, we visualize all the characteristics of her, physical or not, and dream that one will be the biggest love of our lives. Will be our first prince charming. But then you fall in love for someone and realize that this person is your prince but have nothing of that imaginary human. Yes! This enchanted creatures exists, we just need stop imagine him like a product. They’re human beings and unfortunately( or fortunately) we don’t have how plan such a thing, just open our heads and let the heart make his job.
4. If you love yourself, the others also will
Here’s a valuable tip, when you fully love yourself, the people around you perceive that good energy that flows from you. And that energy is contagious, surrounding everyone. Calls love or hapiness, the humans feel that.
5. A lot could be avoided if we were more patients, talk resolvs a lot of things
Every movie have you climax and decline, and in this part usually is when the main couple fight for some stupid detail (in the most of the cases). If they sit with each other and talk all the drama and weeping might be evited, and after all that’s not how relationships last? With patience?! Conversations can lead us far, resolving our problems with punches and cry doesn’t work everytime.
So I hope you enjoy it xox

Anúncios

7 comentários sobre “As comédias românticas e seus ensinamentos

  1. Amei esse post! Não sou tão apaixonada por comédias românticas e comecei a ler meio que com o pé atrás. Mas me surpreendeu 100% realmente são lições ótimas e super pé no chão que podemos tirar desses filmes e levar para vida! Mais uma vez: amei o post! Super interessante, original e bem escrito!
    Beijos!!!

    Curtir

  2. Oi!!!
    Também cresci assistindo a esses filmes, e todas as vezes que me apaixonei ficava comparando com as histórias que conhecia. É um vício meio perigoso, pois criamos ideais e expectativas que nem sempre são verdadeiras, e a gente acaba se decepcionando…
    Mas dá pra aprender muito com esses filmes, se a gente olhar bem.

    Gostei do seu texto, explorou bem essa questão do aprendizado!
    Beijos

    http://conteudoduvidoso.com

    Curtido por 1 pessoa

  3. Eu adorei. Só não concordo que TUDO se resolva com uma boa conversa. Nem sempre os parceiros conseguem consensualizar e, por isso, se separam. E é triste a separação, após descobrir que o príncipe era humano e incompatível. As mudanças ocorrem ao longo dos anos e as diferenças são enfatizadas. Fica difícil não perceber e algumas não são contornáveis, infelizmente. Por isso é importante buscar no parceiro afinidades que irão se fortalecer com o passar dos anos. E, numa coisa vc tem razão, é preciso ter boa autoestima e conhecer-se bem. Isso ajuda na hora de combinar as semelhanças. Mais uma vez, digo que adorei o post.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Comecei na mesma idade que você a ver esses filmes, acho que isso me ajudou muito a ser sonhadora por demais. É, tem os lados ruins, como a maioria das coisas, mas nos divertimos e aprendemos algumas coisas importantes para a vida.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s