A primavera e as borboletas

A primavera chegou. Eu ansiava por essa estação, ao mesmo tempo que a desejava intensamente eu também a repudiava. Repúdio pelo simples fato de não saber como apreciar toda a sua beleza, de me apegar aos seus pontos negativos e torná-los em uma bola de neve gigantesca. Porém ao momento em que abri meus olhos de uma quina diferente, percebi a estação de uma perspectiva totalmente nova. Reparei em cada mero detalhe. As flores florescendo em cada árvore, o colorido das avenidas, as borboletas transitantes. Era toda uma beleza nunca antes percebida por mim, ou melhor nunca antes experimentada. Eu não me permitia arriscar me jogar de cabeça nessa estação, sem saber o que iria sentir, o que me esperava do outro lado. Tinha medo da decepção, da primavera não ser como nos filmes e dessa forma desmanchar meus sonhos. Desmanchar todo o meu ser. Mas acima de tudo tinha medo, medo que desmascarassem a garota que anseia por liberdade e independência, e descobrissem que ela é apenas mais uma sonhadora desse mundão. Não poderia dar esse gostinho para o público.

primavera-indecisões

Porém não controlamos a estação, ela simplesmente chega e se apossa das cidades sem aviso prévio, apenas surge com seus sussurros mornos. Quando nos deparamos já estamos na primavera, sentindo a primavera, vivendo a primavera. E por mais ódio que tivéssemos por ela, desaparece e tudo parece lindo. Tudo parece certo e feliz, e você se atrela tão facilmente a ela, que quando ela acaba você tenta se agarrar ao que sobrou e reza por mais um pouquinho dela. Quando ela vai embora deixa um vazio do tamanho do universo em nossos peitos.

Pois bem eu estou sentindo a primavera nesse instante, sei que ela está começando a criar casa em mim. Eu sinto também a  ansiedade e o desespero que vieram juntinhos da estação. Sinto o furor e a emoção de experimentar dela, de me permitir ser realmente livre e espontânea. De perceber ela se esgueirando cidade à dentro raiz por raiz. De pétala em pétala. De borboleta em borboleta, principalmente as borboletas no estômago. E estou achando tudo lindo.

Porém assim como a primavera é confusa, meus sentimentos também são. Parece amor, mas talvez não seja, ninguém sabe definir o que realmente a primavera representa em mim. Apenas sei que nada sei. Esse sentimento confuso é passageiro como uma estação, incontrolável e inconstante. Ele tem gostinho de quase amizade, quase amor, quase. É uma imensidão de dúvidas. Mas tudo bem, eu prefiro assim. Tomar partido nunca foi meu forte, o quase é o meu forte. Gosto de viver na indecisão.

Anúncios

3 comentários sobre “A primavera e as borboletas

  1. Vi para esse post completamente apaixonada pela imagem das flores. Eu AMO flores. Mas, a verdade é que nunca analiso muito as estações e nem tenho relações definidas com elas. Apenas abomino o calor excessivo. Gosto da ideia da primavera ser a estação das flores, porém 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s