Sad Heart

Estou sentada à janela olhando através dela, mas tudo que vejo é o meu reflexo naquelas gotas da garoa. Não sei dizer ao certo quanto tempo estou aqui, minutos? Horas? Talvez dias. Não sei. Me lembro de ter derrubado algumas decepções pelos olhos e de ter devaneios com você. Sonhos misturados às lembranças não tão recentes assim.

Talvez fossem apenas sonhos e eu estava vivenciando um: com você. Talvez fosse um filme e você o protagonista dele, sempre sorrindo e me fazendo rir. Talvez fosse uma história de amor, onde você era o príncipe encantado do cavalo branco. Talvez fosse uma novela e você o mocinho tentando salvar a pobre garota. São tantos ‘talvez’  que me confundo cada vez mais, mas eu sei a resposta para eles. Os sonhos tornaram-se pesadelos, o filme de romance estava mais para um filme de terror. A história de amor parecia ter sido escrita por Edgar Allan Poe e a novela uma catástrofe sem fim.

tempestade+anapaulalima[1]

A chuva aumenta representando diretamente meu estado de espírito e assim como na rua, está acontecendo uma tempestade no meu coração. Eu estava evitando isso durante muito tempo. Estava sendo forte. Estava te esquecendo. Te esquecendo a cada lágrima que rolava pelo meu rosto e a cada lembrança que tinha sua. Não parece justo. A tempestade é algo tão belo e prazeroso aos meus olhos, mas tão devastadora ao meu coração. Todo o encanto da chuva parece ter sumido desde que você se foi, agora ela é finda de magia e possui apenas a escuridão. Não é nada justo.

Tudo parecia muito bem, seus risos, seus abraços, suas loucuras. Tudo parecia perfeito, nosso abraço, nossos beijos, nós dois. Tudo parecia perfeito até eu notar que meu coração estava ferido e que algo dentro de mim estava mudado. Nunca acreditei na história de que o perfeito não existe, você sempre me mostrou o oposto. Mas tive que aprender da pior maneira que realmente nada é como numa comédia romântica e que infelizmente finais felizes não existem. E como num pesadelo me tornei o que mais temia ser: uma cética. Eu que sempre fui uma romântica incessante, hoje mal consigo acreditar no amor e isso dói. Pior do que ter o meu coração partido é ter a minha alma dilacerada em mil pedaços.

E não é justo eu ter me tornado esse “monstro” no interior tudo por ter te amado demais, o amor devia curar e não ferir. Pelo menos ainda me resta poder admirar a chuva e sonhar, e almejar que um dia minha alma se cure de tamanha destruição.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s